Leonberger

Categoria 0 Comentários 14 Fevereiro, 2018

Classificação F.C.I.

Grupo 2 – Pinscher e Schnauzer – Raças Molossóides – Cães Montanheses Suíços e Boiadeiros

Seção 2.2 – Raças Molossóides, tipo Montanhês. Sem prova de trabalho

País de Origem: Alemanha

Nome da Raça em seu país de origem: Leonberger

História da Raça

No fim da década de 30, início da década de 40, do século 19, Heinrich Essig, comerciante bem-sucedido e conselheiro da cidade de Leonberg, próximo à Stuttgart, acasalou uma fêmea Terranova preta e branca (variante esta denominada como “landseer”) com um macho de São Bernardo chamado “Barry” e proveniente do Hospício Grande São Bernardo.

Mais tarde, estes cães foram cruzados com outros da raça Cão da Montanha dos Pireneus. Isto resultou em um cão muito grande, com uma pelagem predominantemente longa e branca, o que fugia do objetivo do Senhor Essig, que era obter um cão parecido com um leão, pois ele é o animal-símbolo da cidade de Leonberg. Assim, novos acasalamentos foram realizados com o objetivo de se chegar à coloração desejada.

Os primeiros cães realmente chamados de “Leonberger” nasceram em 1846. Eles reuniam as excelentes qualidades das raças das quais eram descendentes. Pouco tempo depois, muitos destes cães estavam sendo vendidos no mundo inteiro como símbolo de status de Leonberg.

No fim do século 19, o Leonberger foi considerado, em BadenWürttemberg, como o cão de fazenda preferido. Suas habilidades como cão de guarda e de tração foram muito apreciadas.

Nas duas Guerras Mundiais e nos tempos difíceis do pós-guerra, o número de criadores diminuiu drasticamente, havendo relatos de que sobraram apenas oito exemplares ao final da Segunda Guerra Mundial, tendo demorado muitos anos para se restaurar a raça. Talvez por este motivo a raça tenha sido reconhecida oficialmente pelo American Kennel Club apenas em 2010.

Aptidão / Temperamento

Leonberger

De acordo com o seu propósito original o Leonberger é um cão grande, forte, musculoso e elegante. Ele se destaca pela sua construção balanceada e sua tranquilidade confiante, contudo, possui um temperamento vivaz. Os machos, em particular, são poderosos e fortes, destacando-se mais das fêmeas morfologicamente falando.

Como cão de família, o Leonberger é um agradável companheiro que se adapta praticamente a todas as condições de vida e moradia de hoje: pode ser levado a qualquer lugar sem dificuldade e se destaca, particularmente, pela sua distinta amabilidade com as crianças, com as quais desenvolve relação especial.

Não é tímido, nem agressivo. Como cão de companhia, é agradável, obediente e destemido em todas as situações da vida, possuindo grande autoconfiança e sendo sempre muito solícito em fazer as vontades dos membros da família. A sua adestrabilidade também é algo digno de nota.

Fiel ao seu propósito original como um cão de família e fazenda, o Leonberger de hoje é uma raça de trabalho multiuso que demonstra sucesso em empreendimentos variados, como resgate de pessoas na água (forte herança do Terra Nova e São Bernardo), rastreamento, obediência, pastoreio, terapia e agility.

Apesar de serem companheiros carinhosos e dedicados, devido ao seu tamanho e força extraordinárias, eles não são cães ideais para proprietários mais inexperientes, principalmente os que não sabem se impor como líder perante o animal.

Cuidados Específicos / Doenças mais Comuns

Leonberger

Apesar de terem sido desenvolvidos em grandes propriedades, os Leonbergers se acostumaram muito bem com a vida na cidade, necessitando de exercícios diários moderados.

Leonbergers são cachorros muito grandes com pelagem dupla extensa, motivo pelo qual devem ser escovados periodicamente, na média de duas vezes na semana. Deve ser dada especial atenção à pluma fina na orelha, na parte de trás das pernas dianteiras e traseiras. Banhos apenas quando necessários.

Assim como qualquer cão, o Leonberger deve ter suas unhas cortadas regularmente (caso o cão viva em ambiente que não permita o “desgaste” natural das mesmas), limpeza de ouvidos, para evitar acúmulo excessivo de cera, e escovação regular dos dentes, com produtos apropriados para cães.

A raça está propensa a desenvolver displasia coxofemoral e ter problemas oculares.

Características Físicas

De acordo com a CBKC, o Leonberger é um cão de tamanho grande, possuindo as seguintes principais características:

Leonberger

  • Tamanho: A altura na cernelha equivale a 72 a 80 cm para cães machos e é de 65 a 75 cm para as fêmeas.
  • Peso: Machos: 50 a 77 kg. Fêmeas: 41 a 63 kg.
  • Crânio: Visto de perfil e de frente, ligeiramente arqueado. Em balanço com o corpo e membros, é forte mas não pesado. O crânio em sua parte traseira não é muito mais largo do que próximo aos olhos.
  • Trufa: Preta.
  • Maxilares/Dentes: Maxilares fortes com uma perfeita mordedura em tesoura, com 42 dentes saudáveis de acordo com a fórmula dentária (tolera-se a falta dos M3). Mordedura em torquês é aceitável; mandíbula sem nenhuma compressão nos caninos.
  • Olhos: Do marrom claro ao mais escuro possível, tamanho médio, ovais, nem inseridos profundos, nem proeminentes; nem muito próximos, nem muito afastados. Pálpebras bem aderentes, não mostrando a conjuntiva. O branco dos olhos (a parte visível da esclerótica) não avermelhado.
  • Orelhas: Inseridas altas, não muito para trás, pendentes, de tamanho médio, caindo próximas à cabeça, carnudas.
  • Cauda: Bem guarnecida de pelos. Quando em stay, a cauda pende reta; em movimento, fica ligeiramente curvada, e se possível, não deve ser portada acima do prolongamento da linha superior
  • Pelo: De média maciez para grosseiro, abundantemente longo, bem assentado, nunca dividido, de forma que o corpo inteiro fique visível apesar do subpelo grosso. Reto, ainda que ligeiras ondas sejam permitidas; uma juba na nuca e no peito, são formadas especialmente nos machos; existem distintas franjas nas pernas anteriores e amplos culotes nos posteriores.
  • Cor: Amarelo leão, vermelho, marrom avermelhado, também areia (amarelo pálido, cor creme) e todas as combinações entre estas cores, sempre com uma máscara preta. Pontas dos pelos pretas são permitidas, porém, o preto não deve determinar a cor básica do cão. O clareamento da cor básica na parte inferior da cauda, na juba, nas franjas das pernas anteriores e nos culotes das pernas posteriores, não deve ser tão pronunciado a ponto de interferir na harmonia da cor principal. Uma pequena mancha branca ou uma listra branca no peito ou pelos brancos nos dedos são tolerados.

Leonberger


Tags: Business Design Technology

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *